“Orgulho poder representar o Brasil na Copa Davis mais uma vez”

Marcelo volta ao Brasil antes de embarcar para a República Dominicana (Foto: Luiz Doro / @dorofoto)
O mineiro Marcelo Melo defenderá o Brasil no Zonal das Américas da Copa Davis. O confronto será contra a República Dominicana, que jogará em casa, em Santo Domingo. Melo, líder do ranking mundial individual de duplas, foi convocado pelo capitão da equipe brasileira, João Zwetsch, e formará parceria com o gaúcho Marcelo Demoliner – que fará sua estreia na competição. O confronto inédito contra os dominicanos será entre os dias 2 e 3 de fevereiro, nas quadras rápidas do Club Deportivo Naco.

“Estou feliz com a convocação. Será o maior prazer e orgulho poder representar o Brasil mais uma vez. Sempre estou disponível para o capitão. Agora retorno para o Brasil por alguns dias, após o Australian Open, e depois já embarco para Santo Domingo onde será disputada a Davis”, afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Marcelo Melo estava em Melbourne, na Austrália, disputando o Australian Open, primeiro Grand Slam do ano, junto com o parceiro polonês Lukasz Kubot. Eles foram derrotados nas quartas de final, na madrugada desta terça-feira (23) e, agora, Melo volta alguns dias para o Brasil antes de embarcar para a República Dominicana para a Davis.

Se vencer a República Dominicana, o Brasil terá pela frente o ganhador de Colômbia e Barbados, em busca de uma vaga no playoff para o Grupo Mundial. Thiago Monteiro, João Pedro Sorgi e Thiago Wild – os dois últimos também estreantes – serão os representantes em simples. A comissão técnica comandada pelo capitão João Zwetsch terá o técnico Daniel Melo, o preparador físico Eduardo Faria, o médico Ricardo Diaz e o fisioterapeuta Paulo Roberto Santos, além do chefe da delegação Eduardo Frick.

Melo e Kubot estão fora do Australian Open

Dupla não conseguiu a virada, após quase três horas de jogo (Foto: Divulgação)
A dupla Marcelo Melo/Lukasz Kubot – cabeça de chave número 1 – foi derrotada pelo japonês Ben Mclachlan e o alemão Jan-Lennard Struff, por 2 sets a 1, parciais de 6/4, 6/7 (4-7) e 7/6 (7-5), em 2h52min, e está fora do Australian Open. A partida, na madrugada desta terça-feira (23), foi válida pelas quartas de final do Grand Slam, em Melbourne, na Austrália. Agora, Melo e Kubot voltam suas atenções para a sequência da temporada 2018. Próximo torneio da dupla será na Holanda, a partir do dia 12 de fevereiro, o ATP 500 de Roterdã.

“Eles jogaram realmente muito bem. Começamos a partida muito abaixo do que vínhamos jogando. Poderíamos ter iniciado muito melhor, para quem sabe já sair dominando e fazer um jogo diferente. A partir do segundo set passamos a jogar melhor, mas eles estavam mais confortáveis na partida, sacando melhor que nós. Então isso acabou sendo determinante. No terceiro set tivemos duas boas chances de break no 4/4, quando o jogo poderia ter sido decidido para o nosso lado. Depois, no tie break, acabou um ponto decidindo para o lado deles. Realmente, a dupla acaba definida por um ponto ou outro. Infelizmente hoje foi para eles, que também mereceram muito a vitória por terem jogado muito bem, especialmente nas horas de pressão. Fica mais um aprendizado e lição para nossa dupla. Aumentar novamente os treinos e focar no que acabamos pecando aqui para não acontecer novamente e continuar tendo boas chances de outros títulos grandes pela frente”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

O jogo – Melo e Kubot sofreram a quebra logo no primeiro game do jogo. E foram atrás da recuperação. Conseguiram no oitavo game, com o break para empatar em 4/4. Mas, em seguida, permitiram que os adversários devolvessem a quebra e fechassem a série, na sequência, em 6/4.

O segundo set foi equilibrado, sem quebras, decidido no tie break. As duas duplas perderam vários de seus serviços, mas Melo e Kubot conseguiram se impor no final e marcar 7-4 para vencer a série por 7/6 e levar a partida para o terceiro set, em busca de mais uma virada no torneio.

Mais um set equilibrado, sem quebras, e novamente o tie break, definindo quem passaria para a semifinal. Desta vez, os adversários levaram a melhor, marcando 7-5 e fechando a série em 7/6 para vencer a partida.

Oito partidas, sete vitórias e o primeiro título da temporada 2018 em Sidney – O mineiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016. Em 2017, a dupla Melo e Kubot disputou 24 torneios, conquistou seis títulos, venceu 51 jogos, com apenas 18 derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

Eles terminaram 2017 como melhor parceria do mundo e dividem a liderança do ranking mundial individual de duplas. Neste início de temporada 2018, disputaram oito jogos e conquistaram sete vitórias – quatro em Sidney, com o título do ATP 250, e três no Australian Open.

Melo, que encerrou 2017 como número 1 do mundo também no ranking individual de duplas, ocupou a liderança pela primeira vez em 2015 e soma até agora 43 semanas no topo ao longo da carreira (22 semanas em 2015/2016; quatro semanas a partir de maio de 2016; 13 semanas em 2017; quatro semanas em 2018). E com a conquista em Sidney, passou a ser o tenista brasileiro com o maior número de títulos no circuito, com um total de 29 na carreira, sendo dois Grand Slam (Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017) e oito Masters 1000.