Melo vence na estreia em Roland Garros e conquista marca histórica

Melo, primeiro brasileiro a alcançar 400 vitórias em duplas. (Foto: Divulgação)
Marcelo Melo acaba de conquistar uma marca histórica na edição 2017 do torneio de Roland Garros. Ao vencer seu jogo de estreia no Grand Slam, nesta quarta-feira (31), em Paris, o mineiro Melo tornou-se o primeiro tenista brasileiro a alcançar o número de 400 vitórias em duplas. Jogando com o polonês Lukasz Kubot, os cabeças de chave número 4 na França derrotaram a dupla da casa, os franceses Julien Benneteau e Jeremy Chardy, de virada, por 2 sets a 1 (3/6, 6/2 e 6/3), em 1h52, e avançaram para a segunda rodada. Agora terão pela frente o norte-americano Ryan Harrison e o neozelandês Michael Venus.

“Eu estou muito feliz por ter chegado nessa marca aqui, em um torneio tão especial para mim e para todos os brasileiros. Quando comecei, nunca poderia imaginar que estaria comemorando 400 vitórias em duplas, uma meta que poucos alcançaram. Aí vêm as lembranças, de alguns detalhes, dos jogos mais importantes, das vitórias guardadas na memória”, afirmou Marcelo.

Campeão do torneio de Roland Garros em 2015, Marcelo Melo deu assim seu primeiro passo em busca do segundo título. Para isso, ao lado do parceiro polonês, teve de superar o bom início de Benneteau e Chardy, que quebraram duas vezes o serviço de Melo e Kubot para fechar o primeiro set por 6/3, em 44 minutos.

Mas, logo no começo da segunda série, a dupla Melo/Kubot reagiu: quebrou o serviço dos adversários para marcar 1/0, voltou a quebrar para abrir 5/2 e encerrar a parcial em 6/2, após apenas 26 minutos.

No terceiro e decisivo set, Melo e Kubot mais uma vez não deram chances aos franceses, apesar de alguns games bastante disputados. Abriram 40/0 para quebrar o saque da dupla adversária, fazendo 2/1, e quebraram novamente para fechar a série e o jogo, por 6/3, em 42 minutos, comemorando a 400ª vitória de Melo nas duplas.

Maiores vitórias na carreira – Com estas 400 vitórias, Marcelo Melo conquistou 24 títulos. Bruno Soares é o segundo duplista em número de vitórias, com 377, seguido de André Sá (280), Cássio Motta (226) e Carlos Alberto Kirmayr (169).

Melo destaca duas de suas maiores vitórias, ambas em 2015. “Tive alguns momentos muito importantes na carreira, não só para mim, mas para o tênis brasileiro. Uma é a vitória que me levou a número um do mundo, em Viena, na Áustria, o primeiro brasileiro a liderar o ranking individual de duplas. A segunda é a da final de Roland Garros, um resultado histórico, com a inédita conquista em duplas por um tenista do Brasil. Tem também as vitórias na Copa Davis”, relembra.

“Guardei a raquete, a bola desses jogos, momentos muito especiais. Agora quem sabe não consigo chegar nas 500”, completa Melo, que nesta temporada, ao lado de Kubot, soma 20 vitórias e os títulos de dois Masters 1000: Miami e Madri. Aliás, é o brasileiro com mais títulos de Masters 1000 na carreira. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017).

Em busca de seu 25º título, o segundo em Paris – Melo tem 24 títulos na carreira, mesmo número de Bruno Soares. À frente apenas Guga, com 28. Assim, uma nova conquista em Paris colocará Melo na segunda colocação isolada. Mais do que isso, poderá significar o retorno à liderança do ranking individual de duplas. Com a vitória na estreia, Melo já garantiu a primeira dessas marcas históricas.

Atualmente, Melo ocupa o quarto lugar no ranking individual de duplas – é o brasileiro mais bem colocado. Kubot é o atual décimo do mundo. Eles lideram o ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals, no encerramento da temporada.

Este é o primeiro Grand Slam que Melo disputa ao lado de Kubot, com quem forma parceria desde o início do ano. No torneio de Roland Garros 2015, foi campeão ao lado do croata Ivan Dodig.

A disputa em Roland Garros faz parte de uma gira europeia que conta com seis torneios: começou por Madri, com o título do Mutua Madrid Open; passou por Roma – com Melo e Kubot sendo eliminados nas quartas de final; agora terá Paris e, na sequência, Ricoh Open (em s-Hertogenbosch, Holanda), Gerry Weber Open (em Halle, na Alemanha) e Wimbledon.

Melo e Kubot iniciam caminhada em Roland Garros contra tenistas da casa

Marcelo Melo treinou forte para a estreia em Paris (Foto: Divulgação)
Roland Garros é um torneio especial para o brasileiro Marcelo Melo. Na França, em 2015, ele conquistou seu primeiro título de Grand Slam. Agora, mais uma vez, estará na quadra em Paris, em busca de um grande resultado. Nesta edição, terá ao seu lado o polonês Lukasz Kubot, parceiro com quem vem formando dupla desde o início desta temporada.

Cabeças de chave número 4, Melo e Kubot estreiam nesta quarta-feira (31), diante de tenistas da casa, a dupla francesa Julien Benneteau / Jeremy Chardy, em partida válida pela primeira rodada. O jogo será o terceiro do dia na quadra 10, que tem programação a partir das 6 horas (horário de Brasília). Assim, a estimativa de início é entre 9h e 9h30 (horário de Brasília).

Melo ocupa o quarto lugar no ranking individual de duplas – é o brasileiro mais bem colocado. Kubot é o atual décimo do mundo. Eles lideram o ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals, no encerramento da temporada.

Um resultado de destaque na França, aliás, pode colocar novamente Melo no primeiro lugar do ranking individual de duplas – posição que ocupou em 2015. Mas, para o brasileiro, o fundamental é jogar bem em Paris para, depois, pensar em voltar a ser líder.

“Eu acho que o importante em Roland Garros é começar muito bem, pegar um bom ritmo e, aí, voltar a número um será consequência dos resultados, dos treinos, de toda uma preparação e das vitórias. Então, é preciso ter a cabeça no jogo a jogo, para quem sabe chegar ao topo até com uma grande conquista em Paris”, explica Melo.

Desde o início do ano, Melo e Kubot comemoraram dois títulos de Masters 1000, em Miami, nos Estados Unidos, e em Madri, na Espanha. Juntos, aliás, somam mais duas conquistas: em 2015 e 2016, quando a dupla se uniu para disputar e vencer o ATP 500 de Viena, na Áustria. Em Paris, jogam como parceiros seu primeiro Grand Slam. No torneio de Roland Garros 2015, Melo foi campeão ao lado do croata Ivan Dodig. No ano passado – também com Dodig – perdeu nas semifinais.

Agora, a dupla chega a Paris confiante pelos bons resultados obtidos nesta temporada e bem preparada fisicamente. “Eu e o Lukasz estamos muito bem fisicamente. Tivemos uma semana de treinos e descanso para poder começar Roland Garros com tudo”, avalia. “Nosso entrosamento também está muito bom. Nos últimos torneios, encontramos o caminho de nossa parceria, jogando bem e conseguindo vitórias e títulos”, observa Marcelo.

A disputa em Roland Garros faz parte de uma gira europeia que conta com seis torneios: começou por Madri, com o título do Mutua Madrid Open; passou por Roma – com Melo e Kubot sendo eliminados nas quartas de final; agora terá Paris e, na sequência, Mercedes Cup (em Stuttgart, Alemanha), Gerry Weber Open (em Halle, na Alemanha) e Wimbledon.

“Os franceses têm carinho pelos tenistas brasileiros. O Guga (Gustavo Kuerten) é reconhecido e reverenciado aqui. As três vitórias dele ficaram muito marcadas e, depois, um pouco a minha também: pela primeira vez um brasileiro conquistou o título de duplas em Roland Garros e Guga estava lá presente, torcendo por nós. Ganhamos diante dos irmãos Bryan (Bob e Mike), que formam a melhor dupla da história. Assim, o Brasil tem títulos em simples e duplas. Por tudo isso, é sempre um torneio especial”, garante Marcelo.