Número 1 do mundo, Marcelo Melo quer conquistar mais um Grand Slam em 2018

O ‘Girafa’ Marcelo Melo e os totens de 2015 e 2017 como número 1 do mundo (Foto Marcelo Pereira / Divulgação)
Um ano de muitas conquistas. Algumas inéditas e muito especiais, como o grande sonho de ser campeão em Wimbledon. Marcelo Melo encerra 2017 comemorando a melhor temporada de sua carreira. Foram seis títulos, 10 finais e o número 1 do mundo em dois rankings – no individual de duplas e, ao lado do polonês Lukasz Kubot, como melhor parceria de 2017.

Ao chegar ao Brasil, após a disputa do ATP Finals e de alguns dias de férias, Melo esteve na loja Centauro do Shopping Anália Franco, em São Paulo (SP), nesta quarta-feira (6), para fazer um balanço do ano e falar da próxima temporada, quando quer conquistar mais um Grand Slam. O primeiro torneio será a partir de 8 de janeiro de 2018, na cidade de Sidney, na Austrália.

O mineiro Melo disputou a sua primeira temporada ao lado de Kubot. Os resultados não poderiam ser mais positivos. Os dois terminaram o ano como os melhores do mundo. No Finals, em Londres, na Inglaterra, no mês de novembro, foram confirmados como parceria número 1, totalizando 9.310 pontos. Melo encerrou 2017, também, em primeiro lugar no ranking mundial individual de duplas, com 9.220, mesma pontuação de Kubot, mas lidera por ter disputado um torneio a menos, com o polonês ocupando a segunda colocação.

No encerramento do ano, Melo e Kubot foram vice-campeões do ATP Finals, torneio que reuniu as oito melhores parcerias do ano. A dupla, ao longo da temporada, comemorou seis títulos, entre os quais o grande sonho de Melo, o de Wimbledon, e três Masters 1000 (Miami, Madri e Paris). O tradicional torneio de Wimbledon foi o segundo Grand Slam conquistado por Melo na carreira, que venceu Roland Garros em 2015, ano em que foi pela primeira vez número 1 do mundo.

“Uma temporada extremamente positiva, com a conquista de Wimbledon, um torneio tão especial, tão tradicional, que sempre quis vencer, de três Masters 1000, o posto de número 1 do mundo novamente, tanto no individual, quanto ao lado de Kubot. Temos muito a comemorar”, afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Temporada 2018 começa no dia 8 de janeiro na Austrália – A dupla Marcelo Melo e Lukasz Kubot inicia a temporada 2018 no ATP 250 de Sidney, na Austrália, a partir do dia 8 de janeiro. Na sequência, o primeiro Grand Slam do ano, o Australian Open, entre os dias 15 e 28, em Melbourne. Em fevereiro, Melo e Kubot disputam o ATP 500 de Roterdã, na Holanda, que começa no dia 12.

“Viajo dia 3 de janeiro para a Austrália para começar mais uma temporada. Nosso objetivo é continuar mantendo um alto nível da dupla, evoluindo sempre. E ir em busca de alguns títulos inéditos, quem sabe com a conquista de mais um Grand Slam, como o Australian Open, torneio que gosto muito de jogar, e do ATP Finals, que neste ano ficamos com o vice”, completa Marcelo.

Marcelo Melo termina melhor temporada da carreira e volta ao Brasil no início de dezembro

Melo e Kubot com o troféu de dupla número 1 do mundo (Foto: Peter Staples / Getty Images)
Após terminar a disputa da melhor temporada de sua carreira, o mineiro Marcelo Melo faz uma pausa para descansar, antes de começar a pensar nos torneios do próximo ano. E nesse período de descanso estará de volta ao Brasil. No início de dezembro, Melo desembarca no País para cumprir os últimos compromissos de 2017 e ficar com a família.

Melo terminou um ano de muitas conquistas no domingo (19), com o vice-campeonato do ATP Finals, ao lado do parceiro polonês Lukasz Kubot. No torneio, em Londres, na Inglaterra, eles foram confirmados como a melhor dupla de 2017, totalizando 9.310 pontos. Melo encerra a temporada, também, em primeiro no ranking mundial individual de duplas, com 9.220, mesma pontuação de Kubot, mas lidera por ter disputado um torneio a menos.

Foram duas premiações em uma única semana na capital inglesa: de parceria líder da temporada e de vice-campeões. Em 2017, a dupla comemorou 10 finais e seis títulos, entre os quais o grande sonho de Melo, o de Wimbledon, e três Masters 1000, sendo o último de Paris, em novembro, antes da disputa do Finals.

“O Finals foi o encerramento de uma temporada extremamente positiva. Lá eu vivi um dos dias mais felizes da minha vida, chegando ao posto de número 1 do mundo novamente, comemorando tanto no individual, quanto ao lado de Kubot”, afirmou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.