Fora do US Open, Melo volta ao Brasil e foca na Copa Davis

Dupla volta a jogar em outubro na China (Foto: Gerry Weber Open_Ket)
O US Open terminou nesta sexta-feira (1) para o mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot. Em partida válida pela segunda rodada do Grand Slam, em Nova Iorque (EUA), a dupla cabeça de chave 2 foi derrotada pelos franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin, por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 7/6 (7-2), em 1h26min. Melo e Kubot não conseguiram repetir as suas boas atuações desta temporada para seguir no torneio, parando na parceira francesa campeã de Roland Garros em 2014 e vice campeã em Wimbledon no ano passado.

Melo retorna já nesta sexta-feira à noite para o Brasil, onde treina até o embarque para o Japão. De 15 a 17 deste mês, ele representará o País na Copa Davis, na cidade de Osaka, em busca de um lugar no Grupo Mundial em 2018, formando dupla com Bruno Soares. Na sequência, em outubro, Melo e Kubot disputam dois torneios na China, em Beijing e Shangai, a partir do dia 2.

Após a participação no US Open, Melo deverá subir uma posição no ranking mundial individual de duplas, passando a ocupar o terceiro lugar, com Kubot caindo para quarto. Juntos eles lideram o ATP Doubles Team Race to London, já classificados para o ATP Finals, que reúne as oito melhores parcerias do ano, em novembro, em Londres, na Inglaterra.

“Agora é seguir treinando, com foco na Davis. Nessa segunda rodada do US Open, enfrentamos dois jogadores de alto nível, que jogam muito bem juntos, já tiveram excelentes resultados e acabaram sendo melhores. Tivemos uma chance de voltar ao jogo no segundo set, que não conseguimos aproveitar. Em dupla de alto nível, uma pequena oportunidade pode custar a partida e foi o que ocorreu. Acho que poderíamos ter ido bem em um terceiro set, mas infelizmente não deu”, afirmou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

O jogo – Os franceses começaram melhor, com uma quebra logo no terceiro game do primeiro set. Melo e Kubot tiveram chances de equilibrar o jogo, mas não aproveitaram, e Benneteau e Vasselin, com novo break, fecharam a série em 6/3.

No segundo set, mais uma vez o domínio no início foi da dupla francesa, que abriu 3/0. Mas, aí, Melo e Kubot foram em busca da reação, com duas quebras, no sétimo e no 11º games, passando à frente, com 6/5, e dando a impressão de que levariam para a terceira série. Só que quando serviram para fechar o set, deixaram escapar a oportunidade e a definição foi para o tie break. Sem sacar bem, a dupla permitiu, novamente, que Benneteau e Vasselin dominassem a partida, marcando 7-2 para vencer e avançar no torneio.

Melo conquista primeira vitória do Brasil no US Open

Dupla superou momentos difíceis no terceiro set para vencer (Foto: Divulgação)
A dupla Marcelo Melo e Lukasz Kubot confirmou seu favoritismo e venceu o argentino Guillermo Duran e o inglês Neal Skupski nesta quinta-feira (31), avançando para a segunda rodada do US Open. Foi a primeira vitória de um tenista brasileiro nesta edição do Grand Slam, em Nova Iorque (EUA). Melo e Kubot, cabeças de chave número 2, ganharam por 2 sets a 1, parciais de 6/3, 3/6 e 6/3, em 1h54min. Agora enfrentarão os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin, nesta sexta-feira (1), por volta das 13h30 (horário de Brasília), na quadra 10.

No primeiro set, sacando muito bem, Melo e Kubot conseguiram uma quebra no sexto game, para abrir 4/2 e manter o domínio da série para fazer 6/3. Mas, veio o segundo set e a dupla acabou deixando escapar a chance de fechar a partida. Duran e Skupski quebraram o serviço de Kubot para marcar 3/1 e, sem novos breaks, empataram em 6/3. Assim, a definição ficou para a terceira e decisiva série.

Para garantir a vitória, Melo e Kubot tiveram de superar dois difíceis momentos no terceiro set. Primeiro, quando os adversários chegaram a ter três break points, no terceiro game. Eles reagiram e confirmaram o serviço para fazer 2/1 para, na sequência, abrir 3/1, quebrando o saque de Duran. Segundo, quando Duran e Skupski devolveram o break para encostar em 4/3. Porém, mostrando muita confiança e sem dar chances aos adversários, foi a vez da dupla Melo e Kubot quebrar logo em seguida, fazer 5/3 e definir em 6/3.

“Tivemos altos e baixos, mas é um pouco normal, até entrar e pegar o ritmo. Demoramos um pouquinho, mas o importante foi terminar jogando bem, da maneira como atuamos no terceiro set. Tivemos a vantagem, acabamos perdendo, mas ficamos firmes para logo depois já quebrar e fechar o jogo. Então isso foi importante. Agora é corrigir alguns erros dessa primeira rodada para ir em busca de mais uma vitória”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Na temporada, cinco títulos e 40 vitórias – O mineiro Marcelo Melo, 33 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot venceu 40 jogos, com apenas 12 derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

Eles lideram o ATP Doubles Team Race to London, já classificados para o ATP Finals, que reúne as oito melhores parcerias do ano, em novembro, em Londres, na Inglaterra. No ranking mundial individual de duplas, Melo aparece em quarto lugar. Kubot é o terceiro do mundo.

Das 27 conquistas de Marcelo na carreira, recordista brasileiro em títulos, cinco foram nesta temporada. O primeiro em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Agora, tem dois Grand Slam – Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017).

Este ano, Melo e Kubot comemoraram os títulos de dois Masters 1000 – Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama), o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama), e na grama de Wimbledon, em Londres, na Inglaterra. Foram, assim, campeões em três diferentes pisos.