Melo e Kubot estreiam no Masters 1000 de Xangai nesta quarta-feira

Dupla joga motivada pelo título em Beijing (Foto: Divulgação)
Marcelo Melo e Lukasz Kubot – cabeças de chave número 3 – estreiam nesta quarta-feira (10) no Masters 1000 de Xangai. Por volta das 6h30 (horário de Brasília), enfrentam o indiano Divij Sharan e o neozelandês Artem Sitak, em partida válida pelas oitavas de final – foram bye na primeira rodada. Este é o segundo torneio que a dupla disputa na China. No primeiro, na semana passada, comemoraram o título do ATP 500 de Beijing. Melo e Kubot já jogaram com Sharan e Sitak nesta temporada, vencendo na segunda rodada do US Open. Em Xangai, a dupla foi vice-campeã no ano passado.

“A forma como jogamos e o título em Beijing nos dá muita confiança para Xangai e para seguir até o fim da temporada”, afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Com o título em Beijing, Melo e Kubot subiram duas posições na atualização desta semana do ranking que define as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, em Londres, na Inglaterra, no mês de novembro. Agora estão em sexto lugar, com 4.070 pontos. No ranking mundial individual de duplas, eles dividem a quinta colocação, com 6.200 pontos.

Depois de Xangai, a sequência da dupla, em quadra rápida, neste final de temporada, terá o ATP 500 de Viena, na Áustria, com início no dia 22, e o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29.

Marcelo Melo chega a Xangai após conquista do 31º título da carreira

Campeão em Beijing, Marcelo disputa segundo torneio na China (Divulgação)
Campeões do ATP 500 de Beijing, Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão agora em Xangai para a disputa do segundo torneio na China, o Masters 1000, ao longo desta semana. Bye na primeira rodada, a dupla estreia já nas oitavas de final, diante do indiano Divij Sharan e do neozelandês Artem Sitak, em dia e horário a serem definidos. A conquista em Beijing foi a 31ª da carreira de Marcelo, 35 anos, recordista brasileiro em títulos da ATP, e a 11ª com Kubot – três nesta temporada (ATP 250 de Sidney, ATP 500 de Halle e ATP 500 de Beijing).

Entre os 31 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015), com o croata Ivan Dodig, e Wimbledon, em Londres (2017), com Kubot, além de oito Masters 1000, sete ATP 500 e 14 ATP 250.

Em Xangai, Marcelo já comemorou duas vezes, em 2013 (com Dodig) e 2015 (com o sul-africano Raven Klaasen). No ano passado, com Kubot, foi vice-campeão. As demais conquistas em Masters 1000: Paris (2015 – Dodig – e 2017 – Kubot), Toronto (2016 – Dodig), Cincinnati (2016 – Dodig), Miami (2017 – Kubot) e Madri (2017 – Kubot).

Sexto lugar na Corrida – Com o título em Beijing, Melo e Kubot subiram duas posições no ranking que define as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, em Londres, na Inglaterra, no mês de novembro. Agora estão em sexto lugar, com 4.070 pontos. No ranking mundial individual de duplas, dividem a quinta colocação, com 6.200 pontos.

“Demos um importante passo, com o título em Beijing, em busca da vaga para o Finals, nosso objetivo desde o início da temporada. É seguir passo a passo, agora focados em Xangai, com confiança total”, afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Depois de Xangai, a sequência da programação da dupla, em quadra rápida, neste final de temporada, terá o ATP 500 de Viena, na Áustria, com início no dia 22, e o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29.