Melo e Demoliner estreiam na madrugada deste sábado em Tóquio contra os croatas Mektic e Pavic

Melo e Demoliner, na expectativa da estreia (Foto Divulgação / CBT)
Os Jogos Olímpicos de Tóquio começam na madrugada deste sábado (24) para Marcelo Melo. Em sua quarta Olimpíada, o mineiro jogará ao lado do gaúcho Marcelo Demoliner. E a estreia será por volta das 5h (horário de Brasília), no Ariake Tennis Park, diante dos croatas Nikola Mektic e Mate Pavic, na quarta partida da quadra 10. Inicialmente, Melo formaria dupla com o também mineiro Bruno Soares. Estariam juntos pela terceira vez nos Jogos, mas Soares teve de ser operado, em função de um apendicite, ficando fora da disputa.

“Demoliner e eu estamos treinando muito para a estreia, a chave está fortíssima. Vamos com tudo em busca da primeira vitória aqui nos Jogos e do sonho de conquistar uma inédita medalha, que também é o sonho do Bruno”, afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro e BMG, com apoio da Volvo, Head, Voss, Foxton, Asics, Bolsa Atleta e Confederação Brasileira de Tênis.

Em Tóquio, Melo disputa a sua quarta Olimpíada. Já esteve em Pequim-2008 (com André Sá) e em Londres-2012 e Rio-2016 (ao lado de Soares). Com Demoliner, que está nos Jogos pela primeira vez, formou dupla pelo Brasil na Copa Davis, em 2018.

Recentemente, Melo enfrentou os croatas no torneio de Wimbledon, com seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, chegando a abrir 2 sets a 0, jogando muito bem. Mektic e Pavic foram os campeões do Grand Slam inglês. E o sorteio da chave, em Tóquio, colocou o mineiro, mais uma vez, frente a frente com os croatas, atuais líderes do ranking mundial e principais favoritos no Japão.

Melo e Luisa nas duplas mistas – O Time Brasil, em Tóquio, conta com seis representantes. Além de Melo e Demoliner, nas duplas masculinas, as paulistas Luisa Stefani e Laura Pigossi jogam nas duplas femininas. O mineiro João Menezes e o cearense Thiago Monteiro estão nas simples. Melo e Luisa aguardam a definição da chave de duplas mistas. As disputas começam na próxima semana.

Marcelo Melo joga com Marcelo Demoliner em Tóquio, após apendicite de Bruno Soares

Melo e Demoliner no treino em Tóquio (Foto @gasparnobrega / Divulgação)
Marcelo Melo vai disputar os Jogos Olímpicos com o gaúcho Marcelo Demoliner. Nesta quarta-feira (21), Bruno Soares teve de desistir da participação em Tóquio por causa de um apendicite, impedindo que a dupla de mineiros jogasse a terceira Olimpíada junta. Soares passou por cirurgia e Melo e Demoliner já iniciaram os treinos visando a estreia. O tênis começa no sábado (24) – sexta-feira (23) no Brasil. O sorteio das chaves será nesta quarta, às 23h (horário de Brasília), já quinta-feira (22) no Japão.

“O Bruno não estava bem desde a chegada, tentou melhorar, fez tratamento com antibióticos, mas apendicite é perigoso e, em conjunto com o COB (Comitê Olímpico do Brasil), a organização da Olimpíada e o seu médico, a decisão foi pela cirurgia. Estamos todos torcendo para que se recupere logo”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro e BMG, com apoio da Volvo, Head, Voss, Foxton, Asics, Bolsa Atleta e Confederação Brasileira de Tênis.

Melo disputa em Tóquio a sua quarta Olimpíada (Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016). Com Demoliner, já jogou pelo Brasil na Copa Davis, na Colômbia, em 2018, vencendo os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

Inicialmente, Demoliner participaria em Tóquio com o cearense Thiago Monteiro, que também representa o País em simples. Com a desistência de Bruno, o Time Brasil passa a ter seis representantes: Monteiro e o mineiro João Menezes, em simples, Melo, Demoliner e as paulistas Luisa Stefani e Laura Pigossi nas duplas.

“Vamos fazer o possível e o impossível para buscar uma medalha. Estamos preparados para fazer um bom resultado. A chave de duplas está forte, com as melhores parcerias do mundo aqui. Vamos passo a passo, treinando com todo o Time Brasil. Olimpíada é muito especial, a energia é muito boa. Temos que ir com tudo. Infelizmente, o Bruno teve de passar por isso, mas felizmente o Demoliner estava aqui também e, pelas regras, pudemos fazer a substituição”, completou Melo.