Depois do vice no US Open, Marcelo Melo viaja para disputar dois torneios na China

Dupla volta à quadra após final do Grand Slam (Foto: USTA / Pete Staples)
Marcelo Melo viaja nesta segunda-feira (24) para a China. Lá, ao lado do parceiro polonês Lukasz Kubot, dará sequência à temporada, em quadra rápida, após o vice-campeonato no US Open. O primeiro torneio da dupla será o ATP 500 de Beijing, com início no dia 1º de outubro. A partir do dia 7, Melo e Kubot disputarão o Masters 1000 de Shanghai. Ainda em outubro, no dia 22, está programado o ATP 500 de Viena, na Áustria.

Depois do último Grand Slam do ano, encerrado no dia 7 deste mês, em Nova Iorque, Marcelo retornou para Belo Horizonte (MG), passando a treinar para essa nova sequência de torneios. Treinos que continuarão a ser realizados nesta semana, já na China, com Kubot.

No ano passado, Melo e Kubot pararam na primeira rodada em Beijing, foram vice-campeões em Shanghai e chegaram até as quartas de final em Viena. Na Áustria, dupla já foi campeã duas vezes: em 2015 e 2016. Marcelo conquistou o Masters 1000 de Shanghai em 2013 (com o croata Ivan Dodig) e 2015 (com o sul-africano Raven Klaasen).

“Vamos disputar esses dois torneios na China, um ATP 500 e um Masters 1000, que vão ser muito importantes, pensando na Corrida dos Campeões, em que estamos bem melhor posicionados, após o US Open”, afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Na corrida para o ATP Finals, Melo e Kubot estão entre as oito melhores duplas da temporada, atualmente na oitava colocação, com 3.570 pontos. No ranking mundial individual de duplas da ATP, Melo ocupa o sexto lugar, com Kubot em quinto, ambos com 5.790 pontos – eles empatam, mas pelo primeiro critério de desempate – torneios disputados ao longo de 52 semanas -, Marcelo tem uma competição a mais.

Melo e Kubot são vice-campeões do US Open e sobem no ranking

Premiação no Arthur Ashe Stadium (Foto: USTA / Pete Staples)
Marcelo Melo e Lukasz Kubot são vice-campeões do US Open. Nesta sexta-feira (7), na final do Grand Slam, no Arthur Ashe Stadium, foram derrotados pelos norte-americanos Mike Bryan e Jack Sock por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/1, em 1h14min. Com a campanha em Nova Iorque (EUA), chegando pela primeira vez à decisão em Flushing Meadows, a dupla sobe importantes posições no ranking.

Na corrida para o ATP Finals, o resultado colocou Melo e Kubot entre as oito melhores parcerias da temporada, em oitavo lugar, com 3.570 pontos. No ranking mundial individual de duplas da ATP, o mineiro passou de 14º para sexto, com Kubot subindo de 13º para quinto do mundo, ambos com 5.790 pontos – eles empatam, mas pelo primeiro critério de desempate – torneios disputados ao longo de 52 semanas -, Melo tem uma competição a mais.

“Um grande momento para nós, por ter chegado a mais uma final de Grand Slam. Muito orgulhoso por estar aqui, disputar esta final. Eles foram muito bem hoje (sexta) para ficar com o título”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Foram quatro decisões de Grand Slam na carreira de Marcelo até agora, com dois títulos (Wimbledon 2017 – com Kubot – e Roland Garros 2015 – com o croata Ivan Dodig) e dois vice (US Open 2018 – com Kubot – e Wimbledon 2013 – com Dodig). No US Open, antes do vice deste ano, Melo havia chegado duas vezes até as semifinais, em 2013 e 2014.

O primeiro set da decisão começou bastante equilibrado, com as duas duplas mantendo os seus serviços até o oitavo game. Nele, Melo e Kubot – cabeças de chave número 7 – chegaram a salvar três break points, mas Bryan e Sock – cabeças 3 – conseguiram a quebra, marcaram 5/3 e sacaram para fazer 6/3 e vencer a série. A dupla norte-americana voltou com tudo para o segundo set, com dois breaks, abrindo 4/0, com grande atuação de Sock. Melo e Kubot confirmaram o game na sequência, marcaram 4/1, tentaram reagir na partida, mas os adversários mantiveram o domínio para fechar em 6/1 e comemorar o segundo título de Grand Slam seguido da parceria, campeã em Wimbledon.