Campeão em 2017, Marcelo Melo comenta cancelamento da edição 2020 de Wimbledon

Marcelo comemorando o título em 2017 (Foto: Getty Images)
Em 2017, o mineiro Marcelo Melo realizou o sonho de ser campeão de Wimbledon, comemorando o título do Grand Slam ao lado do polonês Lukasz Kubot. Este ano, a pandemia do novo coronavírus provocou o cancelamento da edição 2020 do mais tradicional torneio de tênis do mundo, disputado em Londres, na Inglaterra. Para Marcelo, uma decisão triste, mas inevitável, diante da situação atual em função da COVID-19.

“Uma notícia realmente muito triste para todos nós tenistas, para os fãs de Wimbledon, para os fãs do tênis. Todos sabem que é um dos meus torneios favoritos, especialmente depois do título de 2017. Mas, a situação é muito adversa, não temos como ir jogar o torneio. Enfim, vamos ter de esperar mais um ano para poder voltar ao templo sagrado de Wimbledon, tão especial para nós”, comentou Marcelo, patrocinado por Centauro, BMG, Itambé e Taroii, com apoio de Asics, Orfeu Cafés Especiais, Volvo, VOSS e Confederação Brasileira de Tênis, que, além do inédito título, foi também vice-campeão do Grand Slam em 2013 com o croata Ivan Dodig.

A decisão sobre Wimbledon veio após reunião de emergência, nesta semana, no All England Lawn Tennis Club (AELTC), confirmando as expectativas dos que vivem o dia a dia do tênis. A partir do anúncio, todo o circuito de grama que seria realizado antes também foi cancelado e, agora, o calendário, previsto para ser retomado em 8 de junho, tem nova data para 13 de julho.

“Não tenho certeza ainda de quando vamos voltar. Agora passou mais para frente. Espero, logicamente, que o quanto antes essa situação termine para retornarmos às quadras”, completou Marcelo, que está na Flórida (EUA), mantendo os treinos físicos e em quadra na Saddlebrook Tennis Academy, em Tampa, com o amigo Alexander “Sascha” Zverev.

Marcelo Melo aprova definição dos Jogos de Tóquio para julho de 2021

Melo segue treinando em Tampa (Foto: Divulgação)
Primeiro foi o anúncio do adiamento para 2021. Agora, a definição da nova data. Os Jogos Olímpicos de Tóquio/2020 serão disputados entre os dias 23 de julho e 8 de agosto do próximo ano. Para os atletas, um tempo maior de preparação em meio a toda a indefinição provocada pela pandemia de COVID-19. O mineiro Marcelo Melo está na Flórida (EUA), mantendo os treinos físicos e em quadra na Saddlebrook Tennis Academy, em Tampa, durante a paralisação do circuito por causa do novo coronavírus, e voltou a comentar o apoio à decisão sobre a Olimpíada, desta vez com a confirmação do início no verão de 2021 no Japão.

“Até lá esperamos que esteja tudo resolvido e, assim, com certeza, será mais tranquilo para todo mundo. Os atletas terão mais tempo de preparação. Para mim também, vai melhorar, embora vinha jogando bem, tanto eu como o Bruno (Soares)”, afirma Marcelo, patrocinado por Centauro, BMG, Itambé e Taroii, com apoio de Asics, Orfeu Cafés Especiais, Volvo, VOSS e Confederação Brasileira de Tênis.

“Como eu havia falado quanto ao adiamento, é uma decisão acertada, tanto para nós atletas, como para as pessoas que vão assistir, já que vivemos um momento de muita incerteza. Temos de olhar pelo lado da saúde agora, tomando muito cuidado, respeitando as orientações”, completa Melo, que vem treinando com o amigo Alexander “Sascha” Zverev.

A previsão de retorno do circuito é para o dia 8 de junho. Os pontos dos rankings estão congelados. Marcelo e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, ocupam a sexta colocação na Corrida para Londres, com 815 pontos. No ranking mundial individual de duplas, Melo e Kubot aparecem empatados em quinto lugar, com 5.140 pontos.